A saúde animal é um factor determinante na viabilidade das explorações pecuárias e condição essencial para o garante da Saúde Pública. Ciente desta realidade, a ACOS criou em 1989 o Agrupamento de Defesa Sanitária (ADS) de Beja. Desde então, este Departamento da ACOS tem vindo a aumentar e a actualizar o seu leque de serviços, de forma a acompanhar e aplicar os desenvolvimentos técnico-científicos no que respeita à sanidade animal, sempre de acordo com as normas e exigências legais.


Programa de Acção do ADS da ACOS  - 2021


Medidas excepcionais associadas à emergência sanitária da COVID-19

DESPACHO n.º 2/G/2021


Perguntas e respostas recebidas do Ministério da Agricultura, sobre o COVID-19 e algumas questões ligadas à Veterinária

Perguntas frequentes – FAQ Veterinária

 

Febre Catarral Ovina - Língua Azul - Edital nº 58


Peste Suína Africana (PSA) - Nota informativa n.º 1/2022 relativa a medidas preventivas


GRIPE AVIÁRIA DE ALTA PATOGENICIDADE

O INIAV confirmou o 4.º foco de gripe aviária do subtipo H5N1 de alta patogenicidade, em exploração de detenção caseira em Santiago do Cacém. 

Foi criada respetiva zona de restrição e o plano de contingência para a gripe aviária foi ativado com a implementação das medidas de controlo previstas na legislação em vigor. A Direção de Serviços de Alimentação e Veterinária do Alentejo esteve no local para promover o inquérito epidemiológico e a eliminação do efetivo infetado. Como determinado, fez a inspeção e colheita de amostras a explorações existentes na zona de proteção até 3 km do foco (identificada 1 exploração de pequena dimensão). Na zona de vigilância até 10 Km em redor do foco fez a notificação e a aplicação de medidas de vigilância às explorações avícolas que aí se encontram (3 explorações: 2 de classes 3, e 1 de classe 2 e um parque zoológico atualmente encerrado ao público).

Edital n.º 4 da Gripe Aviária, com as medidas a implementar em território nacional e na zona de restrição.

O reforço de cumprimento estrito das regras de confinamento das aves e de biossegurança e das boas práticas de produção avícola destinadas a evitar contactos diretos ou indiretos entre as aves domésticas e as aves selvagens, é de grande importância, assim como a notificação imediata de qualquer suspeita, de forma a permitir uma rápida e eficaz implementação das medidas de controlo da doença no terreno pela DGAV.

Apelamos ainda à notificação de mortalidade de aves selvagens através da aplicação ANIMAS (https://animas.icnf.pt).

Mais informação sobre esta doença pode ser encontrada no portal da DGAV em https://www.dgav.pt/animais/conteudo/animais-de-producao/aves-de-capoeira/saude-animal/doencas-das-aves/gripe-aviaria/


Medidas de Biossegurança nas Explorações Avícolas


Como atuar no caso de suspeitar da doença na sua capoeira?



BOVICARE – Programa Voluntário de Controlo do IBR (Rinotraqueíte Infecciosa Bovina) e do BVD (Diarreia Viral Bovina). 

Para mais informações contacte o ADS da ACOS. T: 284 310 350


O ADS de Beja é membro da União dos ADS do Alentejo, organização que congrega os onze ADS existentes no Alentejo.

Integra também, por via da União dos ADS do Alentejo, a Federação Europeia para a Saúde Animal e Segurança Sanitária - FESASS