Notícias e Destaques ACOS

PLATAFORMA ALENTEJO REUNIU COM ADMINISTRAÇÃO DO AEROPORTO DE BEJA

 1. Na sequência das reuniões de trabalho solicitadas pelo Secretariado da Plataforma Alentejo, teve lugar na semana passada, nas instalações do Aeroporto de Beja, a reunião com a Administração do Aeroporto de Beja/ANA-Aeroportos de Portugal.

 2. A reunião permitiu uma profícua troca de opiniões e o aprofundamento dalgumas das preocupações que a Plataforma Alentejo tem vindo a levantar sobre a utilização do Aeroporto de Beja e os impactos positivos que uma tal utilização poderá/deverá ter não só para todo o Alentejo como para todo o Sul do País.

 3. Entre as questões abordadas mereceram particular atenção as acessibilidades, designadamente a ligação do Aeroporto à Linha do Alentejo (ferrovia) que podia estar concluída se tivesse sido tomado em conta o Estudo Técnico da REFER, de Maio de 2015; a necessidade da conclusão do IP8, com a ligação à rotunda já existente no Aeroporto, como estava previsto, e que há muito devia estar concluído e a abertura e inclusão do troço da A-26 como parte integrante do IP8; a questão da rede de frio, da maior importância para o sector agro-alimentar, dispondo já o Aeroporto da pré-instalação para o efeito; a importância da agregação ao Aeroporto de uma Plataforma Logística e o desenvolvimento da Indústria Agro-alimentar dispondo o Aeroporto de uma área de 80 hectares para esse efeito; o aproveitamento do canal e das obras do IP8 para a implantação do gasoduto entre Sines e o Aeroporto não só para o fornecimento do “jet fuel” para o abastecimento das aeronaves, hoje assegurado pela GALP por via rodoviária e com custos mais elevados, como para assegurar ao sector empresarial e aos consumidores individuais o abastecimento em gás natural, essencial para a competitividade empresarial como para substituir outras fontes de energia menos amigas do ambiente; o crescimento sustentado que se tem vindo a verificar no setor do turismo no Alentejo e a importância deste poder beneficiar mais do Aeroporto.

 4. Da troca de opiniões resultou claro que o Aeroporto de Beja está apto a receber no imediato 1 milhão e 500 mil passageiros por ano, que reúne condições excecionais para o tráfego aéreo e   tem todas as condições para a sua ampliação de acordo com eventuais necessidades futuras cabendo aos decisores políticos a clarificação do que se pretende realmente do Aeroporto de Beja e sobre a utilização militar da BA11.

 5. Ambas as partes sublinharam a importância de uma ampla convergência de todos os sectores e instituições da região no sentido de encontrar as melhores formas e as sinergias necessárias para fazer do Aeroporto de Beja, o importante aeroporto que pode ser,   tendo sido sublinhado por parte dos representantes do Secretariado da Plataforma do Alentejo a sua total disponibilidade para persistir nos seus esforços para conseguir sensibilizar toda a opinião pública e de forma especial as 4 Comunidades Intermunicipais que têm responsabilidades no território do Alentejo (CIMAA, CIMBAL, CIMAC e CIMAL) que até à data se têm alheado das iniciativas da Plataforma Alentejo, apesar dos esforços desenvolvidos no sentido de um maior envolvimento e participação das mesmas desde a formação da  Plataforma Alentejo em Agosto de 2018.

 6. Foi ainda colocada a importância da proposta apresentada pelo Secretariado da Plataforma na Convenção do Alentejo no sentido de, no quadro da preparação do PROT_Alentejo, puderem ser realizadas Convenções Técnicas para aprofundamento das questões fundamentais ligadas às acessibilidades e mobilidade em que as autarquias têm um importante papel a desempenhar em articulação com a CCDR do Alentejo.