Notícias e Destaques ACOS

Aumento do nível de alerta preventivo da Peste Suína Africana(PSA)

Têm surgido casos de Peste Suína Africana (PSA) na Europa, onde até ao momento o vírus está activo nos países bálticos (Estónia, Letónia e Lituânia), na Bulgária, Polónia, Roménia, República Checa, Itália, Moldávia, Hungria, Ucrânia e Federação Russa (parte europeia) afectando tanto suínos selvagens como suínos domésticos. (ver mapa)

 

A PSA é causada por um vírus que provoca uma doença muito grave, que se expressa por um quadro clínico hemorrágico sendo quase sempre mortal. As espécies sensíveis são os suínos domésticos e os selvagens (javalis) de qualquer idade. O vírus da PSA pode difundir-se facilmente por contacto directo ou indirectamente através de uma série de veículos transmissores. Devido à sua gravidade, com rápida evolução da doença e à grande difusibilidade do vírus, a doença tem um elevado impacto social e económico, devido ás perdas provocadas. O vírus da PSA não representa qualquer perigo para a saúde humana. Também não existe vacina nem tratamento para esta doença.

 

A Comissão europeia, em conjunto com os estados membros afectados, implementou uma política de regionalização das zonas afectadas com restrições à movimentação de suínos e seus produtos e subprodutos diferenciados em função do nível de risco.

 

Na sequência da comunicação oficial da Agência Federal para a Segurança da Cadeia Alimentar da Bélgica, confirmando 4 casos de PSA em javalis no sul do País, a DGAV decidiu elevar o nível de alerta para prevenir a entrada do vírus.

 

Nesta sequência, divulgou a recomendação nº 1/2018 PSA, de 13 de Setembro, dando nota de um conjunto de medidas adoptadas para minimizar os riscos de introdução do vírus da PSA no nosso País; para além disso recordamos a nota informativa n.º2/2018/PSA  de 14 de Maio, onde a DGAV alertava e solicitava aos operadores a terem em conta as diferentes medidas preventivas e de biossegurança nas explorações e no transporte.


Esta nota também chamava a atenção para a obrigação de todos os intervenientes notificarem os serviços da DGAV de qualquer suspeita de PSA.